Estou oca hoje.
Nada sai de mim: nenhum palavrão, nem o mais simples deles.
Eu... Eu que sempre falei demais. Que sempre ri demais.
Estou convencida de que a tristeza é meu destino. Uma ida sem volta. Já comprei a passagem.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tango, sangue e revolução

(pre) tensão