Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2016

Gelo no coração

Tenho tentado verdadeiramente não me meter em problemas, mas como canta Lana: eu tenho uma guerra em minha mente. E ela nunca acaba. Destruí um celular novamente. Também estive muito mal educada nesses dias, então pedi que você me deixasse secando, eu nunca desisto de mim mesma, porque sei que no fundo posso valer um pouco a pena.
Deixei meu emprego e fui para um bem melhor, agora sou bolsista fipe, mas me senti muito melancólica, eu admito, nunca é fácil mudar. Mas pode acreditar que apesar da enxaqueca que tudo isso pode causar, apresentações de trabalhos, pesquisa, livros, resumos, bibliografias, palavras fluindo, discussões, boas e ruins, reconhecimento, também bons e ruins e linguística, eu ainda estarei viva e bebendo, fumando, comemorando a minha miséria interior e exterior também, a nossa...
Sinta minhas palavras deslizando em sua mente e fazendo algum efeito perturbador ou não, o que posso fazer com meu talento para a ficção? talvez eu já tenha enfiado no cu há muito tempo...

Sobre noites escuras e frias

Distancie-se de mim enquanto procura ouvir que música está tocando.
A única coisa a qual eu tenho certeza é que estou congelando, mas ainda assim a noite está bela e me lembra você em outras noites do inverno passado. O tempo passa realmente, mas tão realmente que transformo tudo em sonho, névoa perpassando minha memória um tanto incerta.
Será que realmente haverá um dia em que eu me libertarei de mim mesma? Que eu poderei enfim ter todas as coisas básicas que preciso?
Onde eu estive todo esse tempo que estive com você, bebendo, beijando, despertando para um novo dia, quase sempre cedo, sempre atrasados. Onde foi que eu estive quando o mundo não me quis mais inserido nele e eu ultrapassei a linha do desespero, a última delas, mas sempre soube que faria tudo de novo. O nunca e o sempre não significam nada para mim. As ruas seguem sussurrando poemas e o sol quase não aparece no céu.
Não haverá ninguém para buscar-me do precipício e a fumaça toma conta do ambiente. Eu jamais quis ver alg…

movida à alcool

Fiquei esperando que você parasse de dizer que entrou na casa daquele cara idiota que foi preso recentemente, espero que hungria morra, às vezes penso que podia ter desrespeitado esse lado da cidade para o qual eu sempre volto e poderia sim ter sido mais violenta, exceto que você me protegesse assim, então fiquei estática.
Sempre com muitas coisas para fazer e nenhuma paciência aparente. Você fez com que aquela vodka barata estragasse meu fígado devastadoramente e eu gritei a noite inteira e me abracei na gatinha brisa para tentar dormir com a pretinha.
Álcool como combustível principal e nenhuma maneira de fazer as coisas mudarem enquanto leio seissentas páginas do eduardo e estudo a gramática espanhola a fundo.
Disputo comigo mesma o jeito de te fazer feliz.
Pensando nele e vomitando, desolada em ausências de fantasmas na cidade e o outono chegou imprevisivelmente bom de degustar.
Bebo litros e não sinto mais você em mim, porque nem ao menos tentou, mas eu me esforcei. Dormimos junt…

Desculpe se eu estiver incomodando em busca de revolução

As palavravas fluem em minha mente como um eco do universo levado pelo vento. Estou apossada delas. Não conseguirei parar nunca. É uma forma de vida, um grito seco, uma vela que se apaga, uma música que insiste em ficar na mente. Incrivelmente ninguém nunca mais reclamou do meu cheiro de verde bom. Felizmente você me trouxe um monte de erva.
A polícia insiste em travar preconceito, insiste em observar os dois irmãos de cor sobre uma moto e querer pará-los, enquanto um está machucado e o outro atrasado para o trabalho.
Continuo leve como uma folha de outono e livre como uma passarinho colorido.
Uso meias pretas e longas. Escuto blues. Pinto as unhas de vermelho. Leio Hesse. Me especializo aos poucos em educação. Para todos, todas.

Devaneio

Me puxe do labirinto em que me encontro. Duas noites seguidas tomando doce. E então começamos a falar do partido trabalhista, então passamos mal na discussão, quando os percebemos completamente cegos perante nosso país que eu amo e tento politizar quase sem querer.
Ela vomitou e tive que dar banho nela. Ela esbravejava que queria apenas seus direitos de lésbica e a vizinha bateu na janela para que a noite seguisse mais calma. Fiquei nervosa demais com o estado dela, bebendo e fumando sem parar. Como sempre quando tomo um doce, fiquei com a estranha sensação de quer todos estavam fora de controle, exceto eu. Esqueci as palavras bonitas que eu ia contar aqui.  Os dias amanhecem e eu me irrito muito facilmente, rapidamente luto, rapidamente me encolho, raiva e desespero, tento correr, não consigo, estou muito cansada da vida.  Então vou devagar e me encontro no caminho, bem mais calma e hipoteticamente melhor. Escorregando em minhas lágrimas e tropeçando em meus escombros. Tomo parte de …