Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2015

autosabotagem

eu odeio o rumo que a minha vida tomou, completamente fodida. na verdade, mal fodida. na verdade, não posso foder por uma semana, pois minha boceta é uma merda e minha perna é pior ainda. cheia de inflamações, sou pior que uma prostituta. eu mando eles se foderem no meio da rua, discuto e grito, eu não aguento mais a maneira como ele me pressiona sobre coisas que eu não posso mudar e todas as merdas que escutei saindo da boca dele. é bom temer a polícia mesmo, eu odeio o que as pessoas pensam de mim e o jeito como tenho que enfiar aquela porra para me sentir melhor e quando tenho que acordar cedo porque sou doente, sempre estou fodida. não suporto a maneira como eles gritam com crianças, brigam por poucas coisas e não aguento tudo que a vida fez para nós, nos fodendo no meio do cu e fazendo com que todo o amor puro sumisse, eu não acredito em mais ninguém e eu me saboto sem dó, eu me destruo e não sei como voltar ao começo, porque tudo já está quebrado e tomo muitos tipos de remédios,…

me divirto ou me interno!

guardei todas as coisas e ela me ajudou com tudo, todas as coisas que precisava para ficar uns dias na casa do meu pretinho para ficar em paz por um tempo, eu já não poderia ficar lá, eu não teria controle sobre mim mesma. então, resolvi escrever um recado e mandar à ele, já que pensei que ele não poderia aceitar que sou um ser livre. Compramos vinho, fui até a norte, balançando no ônibus, feliz com ele, meu coração de repente se desaperta quando ficamos pertinho falando sobre nós mesmos, nossa história, esclarecendo tudo, nos entendendo, me fazendo sorrir a toa, boba, eu amo essa parte, quando as luzes se apagam e teu cheiro fica na minha roupa. escuta, eu não sei o que dizer direito quando toco teu corpo completamente e sei que é um lugar bom de estar, todo o caminho foi difícil, eu nunca quis fugir dessa realidade, eu não gosto de fingir estar bem. a mãe do pretinho dizendo que tudo ficaria bem... meu coração apertando e doendo e vivo batendo que eu quase não aguento.
não fui à psi…

Eu não tenho medo do escuro

Chovendo e desaguando tudo em mim, em minha mente relapsa e esquecida, em meu coração insensato e em minha alma sem rumo, e entre todas as coisas, a que eu menos sabia era como lidar comigo mesma, e é um prazer não poder lidar consigo mesma quando tudo que eu quero é sumir.
Medo do abandono gritando pelo meu nome nas ruas frias e nos vidros úmidos, nos cigarros que se apagam na metade, na madrugada que destroça os corações que amam sem saber direito o que isso significa. Eu não tenho controle sobre mim, queria que todos soubessem. Queria que todos soubessem que eu sou a responsável pela loucura que causo neles, indômita, me autodenomino, me dispo, me perco e não sou mais quem eu era há vinte minutos atrás, mas sempre serei a mesma, quando o caos passar, se alguém me levar pela mão e eu de repente gostar, se eu brigar por ti e perder no final, eu lutei, enfim. A fantasia que eu tramo é realidade no final, brindando todo o vinho que eu puder tomar, no meio da fumaça que traz minha disto…

sobre a dor da saudade

te sonhei como num dia lindo
a tarde inteira seria nossa
como naqueles dias de verão
as noites no cemitério
ninguém conhece sobre nós
todo o mistério que envolve
toda minha confusão


me subestime sendo melhor que eu

Ele nunca me defendeu. O fato de eu brigar com a girafa vagabunda se tornou algo de que ele duvida, é triste para ele queimar o filme com ela, porque afinal assim, ele não pode comê-la. Amiguinha vagabunda porca eu dispenso muitos comentários, só sei que para me mandar estudar e ler um livro tem que se ter lido pelo menos a metade do que eu já li, então querida, comece agora, enquanto ainda há tempo para que tu aprendas a diferenciar mal de mau. Embora ele diga que eu apanharia, como todos dizem, nunca nenhum me viu com sangue nos olhos, acham que sou criança, mas quando trepo não sou, de repente acham que sou boa e ninguém mais se importa com a minha idade. Coitadinhas, vieram chorar para ele, nossa, que peninha mesmo, mulheres velhas, milfs arrombadas, querendo dar moral pra Chinaski, deve ser uma piada, realmente. Então chore, tire print, xingue, eu só vou rir, ele continuará me comendo, óbvio, mas só até onde eu quiser, que não é muito longe, porque depois que uma pessoa como eu v…

Não pense que eu não reparo na dor dos teus olhos

De repente quis sair correndo não sei para onde e quis ficar sozinha, mas não tive como. Quis pular, a revolucionária não quer parar, nem mudar por ninguém, não gostou eu não melhoro, eu sei que pego muito pesado com todos, principalmente comigo, mas eu não sei porque fiquei assim. Espero que todas as vagabundas que disseram que eu não sei nada sobre o feminismo continuem chupando bem mal o pau dos maiores machistas da cidade, ganhei prêmio nacional da cnpq de igualdade de gênero, eu sou boa nisso, faça sua pesquisa sobre mim, não julgue minha vida pelas minhas fotos, eu conto tudo em palavras afiadas e livres, eu preciso ser livre, e ainda que as vagabundas fiquem mostrando a bunda e encontrando milhares de maneiras de me provocar eu vou estar afogada em minhas palavras, minha mente nunca é desligada, meus sentidos sempre bem saciados, eu sempre soube que acabaria assim, eu preciso escapar de mim mesma.  Jamais erga a voz para mim novamente, eu abandono tudo pela liberdade, passo fome…