Eu não sei o que busco ou quem sou.
Nem mesmo sei se realmente existo.
Porque às vezes me sinto inútil, frágil, insignificante diante de tudo.
Me sinto ignorante, incapaz, sinto que não posso ser como os outros são, que não chego aos pés deles, pois eles são milhões de vezes melhores do que eu.
Pelo simples-complicado fato de que sou diferente, incomum.
Só espero o momento em que eu possa perceber que sou boa o bastante apenas para ser eu mesma e desmpenhar meu próprio papel na peça da minha vida.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Ultraviolência

Arco-íris e Tristessa