A ESPERA

Leves passos no silêncio
Resguardam a mansidão da espera
No obscuro repleto de estrelas
Que riem no céu

Onde mora a esperança
Ela caminha para um lugar múltiplo
Num tempo de tristeza e nostalgia
Em que a espera apenas realiza o que é necessário

Num mundo azul e contente
Que faz os dias mais longos
Onde há borboletas e balanços
Onde se quebra o silêncio

Num lugar onde sempre é primavera
As regras são defeitos
E os sábios são hedonistas
Encontra-se a espera

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ultraviolência

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Arco-íris e Tristessa