Praia brava, lua cheia. Cadê Analua?

     E não esperarei por ninguém, o que vier será avaliado. Sem pressa, sem compromisso algum. Porque compromisso é dependência e dependência faz mal.


     Então eu lembro no meu futuro. E espero meus livros, minha bagunça, meus cigarros, minhas vodkas, meu sofá, meu café, meus DVDs, meu edredom, minha TV, meu notebook a mil por hora, na onda da minha inspiração, numa cidade qualquer, com as luzes na noite fria.
     No verão quero praia e companhia. Amigo e não amor. Quero a lua e as ondas. Quero erva e reggae. Quero areia e pés descalços. Quero sol e muita comida!
     Vou sozinha, quero paz.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Ultraviolência

Arco-íris e Tristessa