Lixo Atômico do amor underground


     Tive uma ideia para um romance meramente projetado a partir da realidade que eu vivi, queria viver, quero viver, vou viver. É só amor puro, com todo o lixo tóxico que ele produz. Amor de infância, amor inventado, reciclado, resistente. Amor de rua, amor que dói. 
     Amor que eu não sei valorizar porque sou uma filha-da-puta.

     

Comentários

  1. NAQUELE DIA FUI ATÉ ONDE ELA ESTAVA APRENDENDO A TOCAR PIANO ISSO JÁ FAZ MAIS DE 3 ANOS EU SEMPRE GOSTEI DAQUELE SOM MAS OUVI-LÁ TOCAR PARECIA PARA MIM SER O MAIS BELO TOM. E EU TÃO PERTO. MAS TÃO LONGE DO SEU CORAÇÃO,DO SEU PENSAMENTO ISSO ERA QUASE CERTO.EU NUNCA SOUBE SER QUEM REALMENTE EU SOU E MUITO MAIS QUANDO EU ESTOU AO ALCANCE DE UM VISÍVEL GRANDE AMOR.ELA TALVEZ DISTRAÍDA SÓ PERCEBEU QUE EU ESTAVA ALI AO TERMINAR AQUELA MELODIA QUE EU AO OUVIR ME FAZIA LEMBRAR O PRIMEIRO DIA EM QUE A CONHECI.

    ResponderExcluir
  2. Filha da puta não tem hífen. Mas ainda assim tu é uma filha da puta.
    Deve saber quem escreveu isso. É que fiquei com pregui de tirar do anônimo HAHAHA.

    ResponderExcluir
  3. é verdade né, não sei pq coloco com hífen sempre kkkkkkkkkkkk
    não sei quem é, sinto muito.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Argumente.

Postagens mais visitadas deste blog

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Ultraviolência

Arco-íris e Tristessa