Poema I


A razão
Beijando o ser nu
Na ausência da sanidade
O luar quebrando copos
De saudade dissolvida em dor
E o ser se veste
E se vai
Nada resta,
Só o desperdício.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tango, sangue e revolução

(pre) tensão