Poema V


Deixo o acaso matar a minha dor,
Minha incerteza e meu destino
Te deixo sozinho
Renasço em mim
                                                           Enquanto ainda há tempo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tango, sangue e revolução

(pre) tensão