Carta: O Mensageiro

Fumando um cigarro longo de puta, com sangue nos olhos e um coração meio gelo, meio fogo.
Não tenho feito minhas obrigações e tenho resgatado toda a independência em mim, porém a minha ignorância hipócrita me corrói. Essa cidade me corrói. Mas eu sou muito mais forte que isso.
Não há mais nenhuma agulha dele por aqui, tudo foi destruído e eu li nas cartas que assim seria. Não vou fraquejar, não tenho condições de cair de novo, ou pior: ficar me arrastando por aí.
Quero sentir o sol como hoje e ler Os sofrimentos do jovem Werther em paz enquanto fumo um e acabo com minha carteira de marlboro vermelho.
Meus lençóis são novos, meus amigos são fiéis e minha consciência é limpa. Estou em reconstrução. Não me atrapalhe.

Comentários

Postar um comentário

Argumente.

Postagens mais visitadas deste blog

Ultraviolência

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Arco-íris e Tristessa