procrastinação

Eu queria tanto poder te arrancar da esquina, arrancar minha calcinha, escrever teu nome no meu corpo, desarrumar a cama. Não sei onde tua filha está, red zone, desculpe, abaixe a música para que eu escute se alguém chegar, vi tua irmã e teu pai de carro, teu sobrinho está bem?
Queria poder voltar aos doze anos, roupas apertadas, cabelos curtos, teu hálito de nicotina na minha virgindade, o muro em que sentávamos, tua filha brincando no domingo quando eu não estava lá, mas a mãe dela estava no meu lugar. Tu me pedindo para chegar mais perto, todas as crianças gritando...
Me pare na esquina e me chame pelo meu nome, diga que estará em casa à tarde, mas você não mora mais lá, não é? Destruíram tua casa, mas tua família nunca foi abandonada por ti.
E se eu for no seu trabalho que agora é honesto, teu irmão saiu da cadeia? Onde estão as armas e as drogas? Eu quero falar contigo, ousar tudo de novo e melhor. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Ultraviolência

Arco-íris e Tristessa