Todo o meu romantismo para um sobrevivente

Gostei de ver as tuas coisas espalhadas pelo meu quarto depois de mais de um ano de desencontro. Consegui ver que és mais ainda do que eu imaginava. Sobre tudo. Sério e carinhoso. Fazendo bons freestyles, tendo bons amigos, dizendo e fazendo todas as coisas certas. O meu melhor branquinho, que me chamou de minha branquinha no meio da neblina e das árvores. Que sabe fumar um comigo e ficar bem, sabe dormir de conchinha, que sabe que meu cabelo não atrapalha para dormir, porque afinal é cabelo de mulher e que sabe fazer com que eu sinta vontade de tirar a roupa e ser dele. Toda noite. Smoking and fucking. Estava tão frio, e o perfume e o calor dele perto de mim. Sem aviso. Maktub. Era ele mesmo? Tudo pareceu um sonho. Só sei que não foi, porque teu amigo rasta esqueceu a marica dele aqui. E eu tenho plena certeza de que tu és a pessoa mais apaixonante que eu conheci, ouvindo e cantando as melhores músicas, tentando honrar tuas origens, nossas origens. Vadiando o tempo inteiro. Tentando sobreviver no inferno. Quero que esse dia fique eternamente em minha memória, para provar que todas as coisas do mundo têm seu momento de acontecer.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Ultraviolência

Arco-íris e Tristessa