Com o dedo na ferida

Me sentindo bem comigo mesma, com meu corpo, com minha conduta, eu me sinto boa o suficiente e  trato todos igualmente. Ele me disse que o meu cheiro é melhor que o da maconha dele. Que romântico! Atirando na minha mente ouvindo esses raps e estudando essas gramáticas portuguesas.
Meu humor sempre sério, porque o mal ainda prevalece. Do que eu preciso para viver? Quem pode me dizer como devo viver? Eu amo o jeito que ele caminha, encaminha tudo, me encaminha, se dispõe a quase tudo. Cada um tem o que merece.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ultraviolência

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Arco-íris e Tristessa