El poder de la Santa Muerte

A preguiça domina meu corpo. Eu assistindo Karate Kid de novo, dessa vez sem ele. Eu viro um cinzeiro quando ele vai trabalhar.
Ontem a noite, dobramos a esquina e o BOE estava ali, olhou meu rastinha e disse que podíamos ir. Bebida, maconha, ficha. O policial estava cansado dessa situação e deixou meu nego passar. Olhei para a tattoo no meu braço. A polícia sempre sabe o nome nos meus.
Quero que eles se mudem logo, tem algo errado aqui, nessa casa, nesse beco. Nunca pensei que diria isso da Leste.
Estou escrevendo com minha caneta multiuso: ela escreve minha loucuras e aperta baseados. Mas não tem armação. Nada é perfeito.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ultraviolência

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Arco-íris e Tristessa