O fracasso é delicioso.

Sinto-me vazia. Parece que todas as coisas que fiz foram sem medo, mas fracassaram. Não me culpo muito por isso, vejo a naturalidade de todas as coisas, através de todos os lados, através de todos os vidros translúcidos, apesar de a maconha estar no fim, apesar de todas a poluição que há no mundo e de todas as músicas tristes de amor que eu já sei de cor, e de toda a vontade que sinto de fumar um cigarro depois do almoço na casa de família todos os dias.
Meus textos ficam lindos quando falam de amor, mas sangro escrevendo. Eu não tenho coragem nem de pensar no que sou capaz de descrever usando as palavras, porque não aguentaria ler novamente. É necessário ter coragem para escrever sem rasurar o próprio pensamento perfeito, que se guarda como uma certeza infalível.
Eu fujo da minha própria mente sempre que olho para a minha máquina de escrever. Eu imagino os travessões nas falas deles exatamente como eles disseram. Não preciso nem gravar, as músicas psicodélicas entram na minha mente e me afetam quase que completamente. E eu limpo freneticamente esse apartamento inteiro mesmo que não seja meu dia de faxina. Vendo até a alma e poso como modelo para ganhar dinheiro só para não ter que me prostituir. Sempre digo a ele que não tenha medo da polícia, porque a santa muerte no meu braço nos protege.
Ontem ele me deu um pedaço de bala, me senti mal. Tudo estava errado comigo, era como se aquele branquinho filho da puta estivesse jogando tudo na minha cara, tudo que eu sou e eu faço e as inúmeras coisas em que sou boa, e ninguém conseguiu ver. Acho que ele odeia tudo em mim, mas isso não faz diferença na minha vida diária com minha esposa Mary Jane, só fez naquele momento, se fosse álcool talvez fosse pior.
E eu sigo recusando os convites que ele me faz, porque estou confusa que eu não consigo perceber onde aquele pretinho lindo de anos atrás se encaixa em mim, porque ele parece ser meu, mas não é. Então eu sigo nos mesmo lugares de sempre fazendo as mesmas coisas. Eu não posso simplesmente mudar todos os meus planos por causa dele. Deja vú. Eu o amo. Mas não posso fazer nada a respeito disso, porque isso não é o bastante para que eu fique junto dele. 
ps.: Todas as meninas da leste são putas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ultraviolência

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Arco-íris e Tristessa