Remake de um filme ruim

A chuva lavando a selva de concreto
O racismo ainda pesando o ambiente
Poucos meses duraram nossos amores
Todas as nossas obrigações
nos impedindo de ficar a vida inteira deitados
queimando um green
Meu interfone não para de tocar,
mas eu não vou atender,
porque não é o greenman,
e eu não preciso de mais ninguém.
Tu me faz engordar e me emagrece na cama
Nem meu pai fez tudo isso por mim
Queria fazer coisas normais
Comprar lingerie e uma calça nova
Atordoados pela nossa inocência
Nascemos com ela
Nos roubaram
Todas as vezes ele quer brigar com alguém que lhe olha diferente
Eu não tenho dinheiro nem para comprar um livro
Minhas mãos tremendo de sativa
Olhando fundo nos teus olhos negros que nada invadem sem a minha permissão
Pretendendo te levar para cima
Todos os manos me pedindo atenção, e eu só quero meu pretinho
Minha boca é a melhor de todas, me afogo, me encho de proteínas
As mesmas famílias, as mesmas perguntas e no fim tudo acaba mal
O mesmo ponto fatídico que me faz perder a consideração
"Quero te comer e comer ela também, já que tu gosta de menina mesmo."
Que frasezinha de merda.
Eu não perdoo essa frase, todo meu trabalho foi em vão
Eles nunca estarão satisfeitos
Querem comer mais uma
duas
três
milhões
eu também não tenho escrúpulos, meu bem
eu conheço esse jogo muito bem
E todos os dias que fumo fico na bad
como eles podem fazer isso comigo, sempre?
Mas depois que eles me apresentam todos os amigos dele
Eu sei exatamente como terminar isso.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ultraviolência

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Arco-íris e Tristessa