Todo mundo sabe que o lado que o sol nasce é o melhor.

Baguncei meu quarto, tem coisa que não faz falta para ninguém. Escuchando La Mala, con mi pensamiento lento y mi corazón latiendo sutil. O livro Carne trêmula quase terminado.

Todos os nomes das três meninas que tem as iniciais de F. S. são vagabundas.
Libertei meus sentimentos, família é sustento.
Não vou pagar a multa da biblioteca, estou anarquizada.
O jornal não me deixaria publicar.
Eu peço o cigarro de vagabundas que se acham honradas, porque numa sala fechado, cara a cara, ela nem espera perder para mim. Olhe fundo dos meus olhos, pouco verá de perdão. Não tratem meu nego mal, porque eu não gosto quando gritam com ele. Aquele branquelo nunca matou ninguém. Meu amor, temos habilidades e experiências com sangue e facas e medo de exús.Eles chegam devagar e contam tudo para nossos inimigos.
Odeio os prédios bloqueando minha visão dos morros quando estou em casa à tarde.
Dedico meu tempo quase que completamente à ele, porque acho que vale a pena. Não quero ficar aqui nessa cidade para sempre, aqui só há regresso.
Bêbada de cerveja, com um lado do peito seiscentos reais e o outro 10g, na bolsa quatrocentos reais, teus amigos disse que meus peitos são valiosos.
Não sei porque teu amigo japa disse que estávamos indo buscar branquinha no melhor lado da cidade, o mais respeitado, se estávamos indo para a zona norte e não leste... Armas verdadeiras, qualidade para o nariz, saúde para meu pulmão. 
O livro da minha vida é Hollywood, do Buk.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Ultraviolência

Arco-íris e Tristessa