manchete: vírus amor me deixa de cama

Quando percebi estava ali com ele deitado na minha cama, dizendo que sou a Naomi Russel no sexo, tirando fotos de mim nua, fazendo um vídeo do meu trabalho. Como eu queria poder acreditar que a vida seria boa só com ele, cheirosinho, tomando banho comigo, dessa vez não o deixei sozinho. Pedindo para que eu beijasse o pescoço dele, me cansando no meio da tarde, eu não aguento esses pesos.
Tenho escrito absurdamente mal.
Eu tenho estado irritada, autodestrutiva e eu sei as razões. Foi como se tudo estivesse acontecendo novamente, ele não para de falar naquela puta na frente de todos e dizer o quanto ela se machucou, não suporto ouvir o nome dela, lembrar do quanto ela é estonteantemente linda, com pernas perfeitas e longas, e eu sempre fui ridícula assim. Então continue vendendo erva pra ela, porque eu não vou ajudar a empacotar nada, espero que ela nunca apareça na minha frente, mas não me diga o quanto eu gostaria dela, porque eu tiro todas as coisas de lugar no meu quarto quando lembro daquelas fotos, meu querido, eu sempre me vingo antes, tuas olhadas e amigas gostosas, eu não quero pegar todas as mulheres por ser bissexual, aliás, eu nem tenho vontade de pegar mulher, porque bem, homens nojentos querem se meter sempre, eu odeio aquela vagabunda e eu odeio muita gente e não consigo entender porque eles me abandonaram.
Não vamos mais morar na norte, mas é uma zona especial. Estou sentindo um vazio por todas as coisas que faço, eu não sou uma boa pessoa com ninguém e não sei porque me sustentam. Ninguém me dá emprego, estou roendo as paredes, odeio essa cidade, odeio o calor.
Por que eles não sabem NADA sobre respeito com mulheres? Porque eu não gosto de me olhar no espelho de cabelo liso e vê-la, nunca pensei que odiaria meu reflexo. Então faço cachos, choro ouvindo Amy, nenhuma comida nessa bosta de quarto, a chuva de verão deixando a água entrar pela janela e eu lembro do quanto meu pretinho fala mal de si mesmo e do quanto eu sempre quis que ele fosse o que é hoje comigo, nossa relação mais louca, não me convide para nada, arranquei todos os sentimentos de mim, meu rastinha sabe quando estou brava, não finja não saber porque e não finja que as fotos que estão no teu celular não são dela e nem jogue uma calcinha branca na minha cara e pergunte novamente se é minha, não diga que é da vizinha, não minta, não. Eu tenho todos os sentidos aguçados, ninguém consegue me enganar com sentimentalismo barato. Que fome.
Me sinto horrível cheia de lama por dentro e por fora, acho que ele deveria comer menos carne e mais frutas para melhorar o sabor, e não dizer que estou acima do peso.
Não me diga que trabalha muito para me sustentar, não tenha essas crises e não seja o terceiro pior homem da minha vida. Gente difícil de lidar. Puta que pariu!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ultraviolência

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Arco-íris e Tristessa