Meditação para sobreviver ao caos

A cada dia meu ódio por aquela vagabunda aumenta. Ai, ai...
Estou em outra missão agora e ninguém entende, mas até meu pai me procurou.
Queria que ela tivesse trepado com ele só para me dizer se o tamanho do pau dele vale a pena.
Quilos...
Alguns tipos de branquelos deveriam bloquear os tímpanos para o rap, não merecem escutá-lo, não adianta nem vir se exibir para mim.
Pensando bem, talvez eu não preferisse a mim mesma do que a ela, se eu por acaso fosse ele. Entretanto, eu com certeza já fodi com os melhores, o valor deles é muito maior do que todas as putas que tu já comeu juntas.
Continuo querendo que ela morra e sinto meu pretinho distante de mim, percebendo que não posso escolhê-lo. Nunca pude...
Rodamos a cidade atrás de um oitão. Não dá para morar na norte porque ele já atirou em dois deles.
Há um momento em que todos estamos deslocados, e eu queria muito que o comum estivesse presente e não esse admirável mundo novo. O sonho americano é um pesadelo. Ninguém nos salvará da decadência.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Ultraviolência

Arco-íris e Tristessa