O prazer dos cigarros infinitos



Bukowski disse que não fizéssemos isso.
Mas nesta manhã tive que pegar um papel e anotar minhas ideias. Tem cinzeiros em todos os lugares, hoje a inspiração me assaltou. O prazer dos cigarros infinitos pós-maconha é incontestável. E então eu esqueço da minha mania de limpar tudo por falta de inspiração, e escrevo.
Ele treina minha boca o tempo inteiro, me fazendo fumar e fazer o meu melhor trabalho na cama (viram como meus textos estão sofisticados?). E também treina minhas mãos no meu maravilhoso trabalho de cama e fazendo manutenção no cabelo dele. E depois dorme no meu colo e esquece de fumar um fechado que está atrás da cama e eu fico lendo e vendo TV até dormir.
O teu gosto salgado despertando meus instintos da cabeça aos pés, tremitando, que angústia!
Quase cinco dias sem trepar (pronto, acabei com a sofisticação). Adiós, tenho que lavar a louça.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ultraviolência

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Arco-íris e Tristessa