Sobre a minha facilidade de adaptação

As cores voltaram e nem sempre as pessoas gostam da gente como a gente pensa que elas gostam ou só porque gostamos delas assim. Eu não sou boa com relações, é o que todos dizem, é tudo ou nada.
Barulho, tequila, ele começou a suar e o pulso acelerou. Um lsd inteiro. Não nos deixaram entrar, então ele pagou, mas conversou com o dono e, senhores, era um projetinho de rasta BRANCO querendo dar lição de moral no meu rastinha, que está sempre gangsta e não há jeito de mudar, dizendo que ele deveria cortar seus dreads por causa do comportamento, mas no cabelo do meu amor eles já estavam formados quando eu fui fazer, branquelinho escroto não dá opinião na minha frente, muito menos pseudorasta com o cu cheio de dinheiro, fumando nicotina e bebendo, porque meu filho, rasta é outra coisa...
Minha memória detalhada está um pouco alterada e eu sei que ele me levou à lugares lindos, tirou fotos da minha bunda, mas é lógico que não o deixei filmar o meu melhor sexo oral, porque só o meu pretinho pode, porque eu só posso confiar nele, e porque me entristeço e quebro tudo quando lembro que aquela câmera está cheia de fotos daquela vagabunda pelada. Vagabunda, vagabunda, vagabunda. Puta. Vadia. As amigas dela ainda são piores e aposto que ele esfregou o pau em todas elas e me dá vontade de vomitar, é uma pena que ele tenha comido aquela boceta alargada dela, eu deixaria o filho dela morrer de fome. E ela tem nojinho da comida do meu pretinho? Ninguém te ofereceu vagabunda dada, comida nunca é feia, entupir o nariz de pó e fazer minha sogra ainda gostar de ti é que é nojento, feio e se põe no lugar que tu é tão podre que o pessoal da norte não te aguenta, girafinha hipócrita.
Gosto quando cuspo essas palavras e quando o silêncio invade o meu quarto.
Muitos me perguntam por que eu não tenho escrito tanto. Não tenho tempo, meu tempo é dele, por isso não gosto de nenhuma delas, talvez porque ele ame demais e faça tudo. Não quero mais chorar por isso nem ouvir palavras machistas da boca dele. Nessas horas tenho vontade mesmo de ir para outro caminho. Mas outros sempre foram mais incertos. Sempre haverá alguém para me prender de alguma maneira, não são mais meus pais.
Então não me digam que todos conseguem, pois hoje eu consigo ver claramente os que se libertaram e os que nunca saberão o que é liberdade. Os vejo por aí e sei como eles se sentem, me espelho neles. Não escapo das coisas do mundo, ele não deveria estar nessa calamidade total, mas já estava assim quando eu cheguei. Não disse que não vou lutar, disse apenas que as armas são poucas e os guerreiros também.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ultraviolência

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Arco-íris e Tristessa