me divirto ou me interno!

guardei todas as coisas e ela me ajudou com tudo, todas as coisas que precisava para ficar uns dias na casa do meu pretinho para ficar em paz por um tempo, eu já não poderia ficar lá, eu não teria controle sobre mim mesma. então, resolvi escrever um recado e mandar à ele, já que pensei que ele não poderia aceitar que sou um ser livre. Compramos vinho, fui até a norte, balançando no ônibus, feliz com ele, meu coração de repente se desaperta quando ficamos pertinho falando sobre nós mesmos, nossa história, esclarecendo tudo, nos entendendo, me fazendo sorrir a toa, boba, eu amo essa parte, quando as luzes se apagam e teu cheiro fica na minha roupa. escuta, eu não sei o que dizer direito quando toco teu corpo completamente e sei que é um lugar bom de estar, todo o caminho foi difícil, eu nunca quis fugir dessa realidade, eu não gosto de fingir estar bem. a mãe do pretinho dizendo que tudo ficaria bem... meu coração apertando e doendo e vivo batendo que eu quase não aguento.
não fui à psiquiatra, acredito que ela não me entenderia, eu quase não consigo me encontrar, mas gosto da sensação boa de paz que ele me traz.
minha perna dói muito e gosto dos teus olhos quando está bêbado, não há jeito de não aceitar que os aquarianos pensam assim.
nós duas fumamos um na nota fiscal no posto, esperamos ele sair do trabalho, deixamos ele ficar no meio, se sentiu um rei, eu não consigo não rir do jeito dele. sentamos e tomamos litros de vinho, depois de vodca e fumamos vários.
foi incrível quando descobri todo o amor dele e fodemos tão bem que perdi as contas, meus cálculos dão errado quando tenho tantos orgasmos e toda a vila escuta nossa cama balançando, eu gosto do teu jeito inesgotável no amor e de quando anda cantando, e quando me olha, tua pele transbordando meu amor. Então eu bebo e escrevo e leio e eu vou ficando bem.
Choros e brigas, eu não aguento gente que fala uma coisa e depois finge que me ama só para me comer novamente. queria poder consertar tudo como se eu fosse normal e soubesse como lidar com isso. quero pelo menos uma vez ser verdadeira, eu quero ter coragem de enfrentar a verdade!!
minha mãe veio e resolveu tudo para mim, ela é incrível e eu sou um problema sem solução... não gosto de limitação nem de lamentação. quem conhece sabe, tenho pressa, meu ônibus chega.
então diga que vai chamar a polícia para que eu pegue minhas coisas, mas não conhece a força das minhas mãos e muito menos as mágoas que crescem em mim, confundem, enlouquecem...
as palavras não conseguiam condizer com o que estávamos pensando, nossas vozes se confundiam na escuridão, eu não entendo mais nada dentro de mim mesma e as ruas contam coisas que não sou capaz de explicar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Ultraviolência

Arco-íris e Tristessa