Não pense que eu não reparo na dor dos teus olhos

De repente quis sair correndo não sei para onde e quis ficar sozinha, mas não tive como. Quis pular, a revolucionária não quer parar, nem mudar por ninguém, não gostou eu não melhoro, eu sei que pego muito pesado com todos, principalmente comigo, mas eu não sei porque fiquei assim. Espero que todas as vagabundas que disseram que eu não sei nada sobre o feminismo continuem chupando bem mal o pau dos maiores machistas da cidade, ganhei prêmio nacional da cnpq de igualdade de gênero, eu sou boa nisso, faça sua pesquisa sobre mim, não julgue minha vida pelas minhas fotos, eu conto tudo em palavras afiadas e livres, eu preciso ser livre, e ainda que as vagabundas fiquem mostrando a bunda e encontrando milhares de maneiras de me provocar eu vou estar afogada em minhas palavras, minha mente nunca é desligada, meus sentidos sempre bem saciados, eu sempre soube que acabaria assim, eu preciso escapar de mim mesma. 
Jamais erga a voz para mim novamente, eu abandono tudo pela liberdade, passo fome, lavo vasos sanitários, escrevo poemas parnasianos, mas não diga frases irônicas para mim, não há como não cortar uma pessoa sensível como eu com palavras impensadas, eu apenas levanto voo para longe. Não diga que não posso mudar de ideia e o que eu digo não precisa mesmo agradar ninguém e teu cheiro não sai do meu corpo cheio de inflamação e vazio de vida e esperança, sou eu mesma contra o mundo, não preciso que ninguém me dê uma chance, eu mesma faço meu serviço.
Sou um distúrbio nos lares, ele chora e diz que não sabe o que vai fazer sem mim, eu choro pensando em como conserta todas as merdas que eu fiz e todas as vezes que abandonei as pessoas erradas e tratei o amor dos outros como lixo. Todos eles também me ofenderam, então um pouco é culpa da bebida, toda minha culpa é parte de mim, minha vida está como um sonho, mas muitas vezes como um sonho ruim e em minutos alternados de queima de thc eu fico bem e me despedaço e me desprendo de mim mesma para voltar e continuar sem rumo, indecisa e depois quero tirar essas correntes, pois nenhum sonho é para sempre, todos têm de acordar.
Vou te abandonar nas noites frias e meu nome nunca se apaga das mentes que fodem-me sabendo que sou a pior das garotas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Ultraviolência

Arco-íris e Tristessa