Arte em mim

Há quanto tempo não escrevo... Um ano se passou e tudo mudou, estou velha e bem melhor. Olhe-me de cima para baixo. Beijem meu ombro sem que suas mulheres saibam. Depois que deitaram em minha cama só comeram as exclusivas, já que as vagabundas nunca aprendem e seguem sendo as mesmas, enquanto eu reparo e nada mais digo, são muitas notas de cem para eu contar.
Esfumaço tudo, escrevo em tudo, idiomas, poesia, literatura, Woolf, Nega Carolina, mil outras meu espelho de corpo inteiro e interno. Visualizem, às vezes de longe, mas sempre conquisto, sentiu o perfume já não sente o chão em meu poder. Quanto trabalho, ninguém repara nas rimas ruins de vocês, tenho mais uma lista para apresentar, não importa os lugares que vão ou cheguem, eu não me impressiono com a falta de respeito que já presenciei.
Nasci assim.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Ultraviolência

Arco-íris e Tristessa