'Drama' da noite

Conforme a fumaça vejo para onde está o vento e conforme o sol vejo em que zona estou.
Andei novamente louca, e levemente flutuante, enquanto tomava doces e gritava, te xingando, para sempre te deixar para depois, para parar de pensar, para parar de olhar para a cara das pessoas, tudo isso enquanto meu dia estava nublado e chuvoso, enquanto o álcool com gelo descia pela minha garganta e ao ponto que o que eu dizia já estava com sentimentos tão intensos que tudo que eu sentia era uma visão deturbada feito Raskólhnikov e erótica feito Anaïn Nin.
Estava me sentindo pouco romântica e aquele lugar da cidade já estava me irritando, sol se pôs ali mesmo, sem pudor feito eu. Blá, blá, blá, eu quero ir embora, tenha quantas amigas quiser, olhe meu corpo e então poderá explicar, ainda estou fraca, confesso, sempre posso ser melhor.
Nega Carolina, manda inspiração do céu, estou seca... Será que é preciso passar fome para te entender, mulher?
Mesmos sintomas: vou e volto feito ondas, As Ondas, cansei, me arrependi.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ultraviolência

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Arco-íris e Tristessa