Sobre a humana que sou

Sofro como todos. Tenho tido pesadelos horríveis, será que é muito Férrez para a minha pobre cabecinha? Ou será que é muito Crime e Castigo? Estou confusa, confusión... Passa, passa, eu permaneço queimando meu neurônios, doutora.
Perco o controle rapidamente, sou boa assim há anos, eu não posso ser culpada, não saberia que seria assim, observem o nome indômita, jamais conhecerá nada igual.
Há muito tempo estou convencida de minha força, onde vamos parar, querido? Minha confiança foi para o esgoto, por que acham que ando assim, e nunca sou a mesma? Por que pensam que estou falando sério quando me autodenomino predicados maravilhosos? Vocês devem mentir, também são humanos.
Queria comprar móveis novos, porque já comprei muitos livros. Constantemente surpreendo com minhas loucuras, quem pode julgar isso, jamais peço desculpa, mas agora estou tentando pedir, nunca fui tão ruim assim, enquanto pude ser boa o suficiente. O suficiente para que exatamente?
Quanto tempo pode passar até que uma pessoa mude? Pessoas como eu levam apenas segundos para mudar completamente. Enfim, estou surpresa comigo, então todos sempre estarão.
Saudade mata também.
Misturaram todos nós, nos tiraram de nossos lugares, o que podemos fazer sobre isso, quase nunca sorrio assim, só quando estou com você.
Observe o quanto a noite está bela hoje e nunca repare se eu quebrar alguma coisa.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ultraviolência

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Arco-íris e Tristessa