Alta tensão

Tentando transformar lágrimas em poesia, como é difícil contemplar minha alma vazia... Que triste é estar tão longe da família, cigana perdida no mundo, cosmopolita por natureza, minha beleza não faz caso nesse mundo, transcende os estereótipos impostos, não existem manuais de instrução.
Como gostaria de poder estar longe também, mas infelizmente não fui longe em alguma metrópole despertencida, fiquei nessa merda de cidade sem razão.
Estou altamente decepcionada. Estou completamente perdida. Saldo bancário zero. Sem recursos próprios de ervas para te oferecer numa tarde de ócio, não estou ignorando ninguém além de mim mesma.
Onde fomos parar naquelas noites cheias dos teus sorrisos plenos iluminando as ruas da cidade, pretinho? Quantas meninas te tomando de mim sem pudor algum, te conquistando assim, sem muita luta. Dessa vez não há ninguém para segurar minhas lágrimas insensatas.
Suo frio, me tapo, me destapo, Carolina na cabeça, misturei-a com Eni Orlandi, Pêcheux, Bakhtin e Foucault tentando mostrar a todos a luta dela e fazer dessa luta a minha também, o motivo pelo qual trabalho para ganhar dinheiro, tento mudar o mundo, pois a fome travou uma luta com nosso povo que não conseguiremos vencer sem guerra, e eu estou na guerra, eu quero que o meu mérito seja o dela e de todas as Carolinas, para que sua memória não seja olvidada, para que seu lugar se consagre em nosso Brasil faminto de tudo. De comida, de literatura e principalmente de voz.
Carolina sujeito-mãe-negra-brasileira-poeta-catadora de lixo-escritora-favelada.
Eu farei o possível para desvendá-la utilizando a mais alta filosofia.
Gostaria de ouvir da tua linda voz rimadora que é meu para sempre, que as outras coisas conseguiremos vencer. Mas o silêncio continua me sufocando e ecoando em minha mente. Queria saber o que está pensando sobre mim, se é ruim...
Enquanto isso o rastinha acredita que eu não sei das coisas, eu vi as fotos dela frequentando o bar, acredita que eu gosto que cuspam em meus órgãos sexuais para serem fodidos e que dar tapa na cara é bom, onde o carinho foi parar dessa vez, mesmo depois de eu rasgar todas as fantasias sexuais, eu jamais usaria essas roupas, não sou escrava.
Daria o mundo para saber se me aceitaria como se nada tivesse acontecido, como se eu por acaso pudesse uma vez na vida ser completamente tua sem ninguém mais, e pudesse dormir tranquila no teu colo sem ser uma cinderela com hora marcada para ir embora. Eu quero tudo ou nada. Se eu pudesse voltar atrás jamais te faria sofrer, não te deixaria sozinho no meio da noite. Como se deus existisse e eu pudesse fazer um pedido, uma reza para que voltasse o ano passado e esse tivesse iniciado de uma maneira diferente. Luto por ele desde os dezesseis. Nenhuma delas luta melhor do que eu.
Infelizmente não se pode recomeçar a vida, e muitas vezes nem mudá-la em possível. Muito menos sentada e desnutrida de afeto, como eu.
Confesso, eu morrendo de saudade, não aguento mais. É muito triste que eu seja tão má assim e não valha a pena. É uma pena que eu deite contigo quando estou sendo uma pessoa falsa e ruim, tirando as mentiras como se fossem minhas roupas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ultraviolência

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Arco-íris e Tristessa