Tarde demais para sorrir

Fechei as janelas para ficar a sós com a morte, conversar com ela por alguns minutos. Ela nunca diz nada, ela apenas nos engana o tempo inteiro. Semana passada me visitou, eu não pude fazer nada, apenas percebi o barulho do carro, disse em voz alta que não queria ver. Mas vi. Pobre Cannabis, com sangue saindo pela boca. Já perdi tantos animais e hoje acordei chorando, pois sonhei com minha gatinha, ela estava tão próxima, eu podia abraçá-la, mas agora ela está longe, bem longe, pode ser que eu nunca mais a veja. Acendi um cigarro longo para observar a chuva caindo e todas as minhas respostas escorrendo pelos boeiros. Esse mês não vou receber.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ultraviolência

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Arco-íris e Tristessa