Devaneio

Me puxe do labirinto em que me encontro. Duas noites seguidas tomando doce. E então começamos a falar do partido trabalhista, então passamos mal na discussão, quando os percebemos completamente cegos perante nosso país que eu amo e tento politizar quase sem querer.
Ela vomitou e tive que dar banho nela. Ela esbravejava que queria apenas seus direitos de lésbica e a vizinha bateu na janela para que a noite seguisse mais calma. Fiquei nervosa demais com o estado dela, bebendo e fumando sem parar. Como sempre quando tomo um doce, fiquei com a estranha sensação de quer todos estavam fora de controle, exceto eu. Esqueci as palavras bonitas que eu ia contar aqui. 
Os dias amanhecem e eu me irrito muito facilmente, rapidamente luto, rapidamente me encolho, raiva e desespero, tento correr, não consigo, estou muito cansada da vida. 
Então vou devagar e me encontro no caminho, bem mais calma e hipoteticamente melhor. Escorregando em minhas lágrimas e tropeçando em meus escombros. Tomo parte de mim e de minha posição-sujeito. Muito bem, a linguística me tomou também. Agora sou pesquisadora da análise do discurso. Posso me apaixonar por isso sem medo de enlouquecer.
Perceba em meu olhar a vontade de ficar só com você e a gatinha e o cachorrinho e nós deitados fumando um.
Que sensível que somos nesse mundo idiota.
Faça coisas lindas para me agradar e me surpreenda no seu aniversário e não o inverso. Me ame em todas as partes minhas, as boas e as ruins, não há mais nada que possamos fazer. Apenas se depare com meu lado obscuro e deite ao meu lado todas as noites que puder.
Passei muito mal por não comer. Não havia nada. Você me salvou. Comprou um sanduíche gigante para mim. Fiquei pronta para outro dia.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ultraviolência

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Arco-íris e Tristessa