Ilimitada

Não me limite, eu não tenho destino certo, quando me ver de novo duvido aguentar não me tocar, na minha história toda ninguém resistiu, onde eu vou estou cercada de olhares, uns ousam dizer o que sentem, outros não.
Não me limite, eu posso causar grandes confusões quando estou sozinha, pesquise mais para perceber o quanto não sabe nada sobre machismo, e agora perceba que todas as minhas doenças são reflexo da minha coragem, querem só me comer? Também quero só dar. Fiz vídeo e foi viral em toda leste? Foto das minhas amigas peladas vazaram por toda vila? Repete que eu acho bonito, acho mesmo, não é crime nenhum aparecer, meu corpo todo de musa, eles e elas querem ver, anonimato eu não enfrento, eu simplesmente cumpro a pena de ser eu mesma. Não me surpreende que você não saiba o quão machista é, sem vontade alguma de vencer o sistema.
Não me limite. Você não pode falar de minhas dst, porque não tem proceder, eu na juventude caí na conversa de vários, eu bebi várias garrafas com líquidos diferentes, eu acabei com muita dor, quem não tem buceta eu não escuto nada depois da segunda frase.
Se dar pra todo mundo é dar pra quem eu quiser então sim, dou mesmo. Meu corpo é inteiramente meu. Minhas mentiras são mais sinceras que o meu amor desgraçado, quebrado, desnutrido de toda vitalidade. O sexo eu ensino, teu ciúme eu abomino, não me subestime, eu estou subitamente transtornada, não posso estar na sua cama, senão você já teria perdoado, se perdido nas minhas curvas, qualquer mínima fumaça ou gota de álcool te altera a percepção, mas só eu faço você perder completamente os sentidos. E o de quantos mais? Eu realmente não amo eles, mas quando vem algum pré-determinado, aqueles irresistíveis, mas jamais disponíveis. Sempre na minha lista, os amigos já dei pra todos, faltou ele cantando, eu me submeto, o crime não compensa, mas eu cumpro a pena.
Não me limite, isso não é um favor.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Ultraviolência

Arco-íris e Tristessa