Inofensiva

Comendo folhas de coca bolivianas e discutindo a política de línguas brasileira. Minha língua adormece.
Os colonizados serão oprimidos até quando? O sonho da oprimido é ser opressor, por que razão?
Me perco entre minhas memórias de amor, e me detenho em nós, porque todo o resto se afastou de mim, me deixou estar em paz contigo, todos os pecados desapareceram. De alguma forma, aprendo a ser livre nesse mundo externo que criei, os astros me fazem única e brutal.
Durmo mal e acabo tendo aquela sensação que todos conhecemos: quando desejamos intensamente dormir na aula, naquela atmosfera em que parece um sonífero, a voz da professora.
Queria guardar o cheiro dessas ruas em um potinho para nunca esquecer-me dele. Acredito que andar distraída não é necessariamente sinônimo de cegueira.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ultraviolência

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Arco-íris e Tristessa