Liberdade

De longe observo minha loucura circulando lentamente. Desvanecendo-se na fumaça. Terna e confusa, parecia um velho furacão em mim. Catastrófica, porém com um marasmo alternativo. Eu gostava que não fazer muitas coisas e também era devorada pelas horas arrastadas.
Precisava encontrar desculpas que me fizessem parar. Eu estava na estrada certa para desvendar-me.
Por quanto tempo estaria livre?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tango, sangue e revolução

(pre) tensão

Pensé que iba a haber fiesta