Sinal verde

Sempre dez graus e muitos filmes argentinos com atores espanholes misturados para distrair-me.
Os latino-americanos tem muito em comum, mas fumam prensado. Enquanto que os europeus tão perfeitos são os que conseguem as flores e podem pagá-las. Aqui fumo somente flores.
Muitos trâmites, filas, pesos para ter um visto permanente para viver. Além poucas cobertas para esquentar-se.
Ando incansavelmente por quilômetros, enquanto os carros passam rápido e te molham e todos os museus podem ser explorados nas ruas frias. Posso sentir saudades, mas ao mesmo tempo me sinto livre. Os sotaques se misturam e eu sempre me encontro comigo mesma no fim da noite, a madrugada me conhece bem. 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ultraviolência

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Arco-íris e Tristessa