A GAIOLA


E o porquê de tudo isso
Está escondido entre os vestígios
Desse platônico vazio
Dessa coisa surreal

Não sei o quê mudará
Nem ao menos o quê ficará
Não há caminhos abertos
Nem verbos conjugados

Não há lua nem moinho
Sou só eu, ninguém mais
Dentro dessa caixa
Dessa estranha gaiola

De onde os pássaros não saem
E a luz não entra
Onde as regras não se encaixam
E o sol não esquenta

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Ultraviolência

Arco-íris e Tristessa