Porta entreaberta

Eu te esperei dias inteiros, mas não te vi. Nunca te vi.
Tentei abrir as portas, mas estavam trancadas. Bati, ninguém abriu.
Eu pensei que poderia entrar assim, sem bater. Mas estava tudo trancado.
Eu tinha esperança que a porta estivesse entreaberta, que eu poderia entrar, bagunçar tudo, eu prometi não destruir nada. Também não quis amedrontar. Eu só queria entrar, sem avisar. Fazer uma surpresa.
Mas todas as portas estavam fechadas. Tudo bem, eu prometo não encomodar mais. A partir de agora vou agir como se tudo que aconteceu fosse apenas um sonho louco. Daqueles que a gente acorda e logo esquece... Daqueles que não fazem a menor diferença. Como fantasmas que sabemos que não podem nos ferir. Não são reais, não são tangíveis. Pura ilusão.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ultraviolência

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Arco-íris e Tristessa