Foda-se

Quero aprender a dizer não para não passar por pesadelos novamente, e acordar sempre assustada pensando que foi apenas um sonho e em seguida me deparar com a dura realidade e ter certeza de que é real, de que eu não posso evitar e que essa é a minha vida.
É muito triste ter que encarar meus objetivos, cara a cara, quando eu nem ao menos os conheço direito, quando eu ainda não sei o que quero nem do que sou capaz. E é incrível como algumas pessoas cedo se dão conta do que querem, têm seus próprios objetivos enquanto eu fico afundada em meio a trilhões de caminhos tão distintos.
Eu só queria ter coragem de fazer as coisas que eu tenho vontade, mas como vou fazer isso sem ferir os outros e sem ferir a mim mesma? Como posso ser sincera e dizer o que penso se eu posso por tudo a perder?

Já tentei mil coisas diferentes, experimentei estereótipos enquanto buscava a mim mesma. Eu só quero me conhecer melhor, mas é quase impossível quando se considera o fato de que eu tenho um medo absurdo de arriscar.

                E eu rasguei diários, abandonei escolhas feitas, traí pessoas, abandonei-as, coloquei um piercing na língua, fumei feito louca, li livros de auto-ajuda, procurei amores como uma forma de ter uma razão para viver, e fiz mais duzentas coisas e não deu em nada. E não deu em nada porque não tinha amor, não tinha paixão, logo não tinha graça.

                E se eu encontrar alguém só para mim também não seria o bastante porque se entregar para alguém é tão perigoso, tão venenoso que sempre acaba em desgraça. Porque as pessoas brigam, mudam e se machucam umas as outras. Eu não quero isso para mim, não quero sangrar. Não quero ser esfaqueada ou esfaquear alguém, literalmente ou não. Mas isso não quer dizer que eu não acredite na força do amor e na magia que é estar amando.

                E se eu esperar muito, o tempo vai passar e eu vou ser comum, perder meus sonhos...

                Eu prometo lutar, prometo tentar e arriscar, mesmo que me esfole, mesmo que eu perca a fé, mesmo que morra. Porque as pessoas então tão contaminadas com as posses que é difícil não pegar essa doença, não se sentir sufocada pelo capitalismo, pelos crimes hediondos, pela mídia manipuladora, pelo ideais de beleza, pelos amores corrosivos, pela futilidade das revistas de fofocas, pelo jornalismo barato, pelas idéias estúpidas. Parece que já estamos tão acostumados com toda essa merda que já é tudo comum. É tanta estupidez que é difícil não considerar o suicídio.

                Resta apenas eu ir descobrindo minhas múltiplas facetas, trabalhá-las e aceitá-las. Se os outros não aceitarem, FODA-SE.


                                                                                                                                                        


Comentários

  1. Muy bueno, Camilla. ¡A vivir la vida hoy! Y linda fotografía la que has conseguido.
    Es un placer pasar por aquí.
    Besos

    ResponderExcluir
  2. Sí, vamos vivir!!! Yo exponi mi alma en este post, abri mi corazón completamente, y gracías por comentarlo y sí, la foto es muy buena haha ;)
    Beso grande Daniel!

    ResponderExcluir
  3. Deseja fazer uma parceria? Meu blog é http://mundotvseries.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Argumente.

Postagens mais visitadas deste blog

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Ultraviolência

Arco-íris e Tristessa