Desvio ao precipício


Assombro minha sombra
Com meu sopro inofensivo
No meu mundo de sonhos sem cor
Desafio a gravidade do meu corpo
A coragem é permanente
Porque não há mais espaço para medos
Ser livre é muito caro
O preço da imprudência é a responsabilidade
Consequências trazem dor
Meus passos ininterruptos
Silenciosos na escuridão
Entro em atalhos
Erro a direção
Engulo o lixo do mundo
E reciclo toda confusão

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tango, sangue e revolução

(pre) tensão