Versos brancos


Sinto como se estivesse morta ou em coma
Sinto sua falta e não vejo nada com inocência
Todos esses pedaços estraçalhados
E nunca mais te verei novamente porque não posso encontra-los em paz, já não fazem parte de mim, mas mesmo assim permanecem aqui
Fantasmas me atormentam no arrasto dos dias e das horas que nunca acabarão, nem mesmo depois que eu não habitar mais esse corpo
Meus olhos estão inchados ainda que eu não chore
Eu amo
E todos partem
Partículas do meu ser acorrentado
Poesia sem rima

São as únicas que eu sei escrever com o coração

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Ultraviolência

Arco-íris e Tristessa