Nenhum jogo é bom quando se está perdendo


Me disseste que já não existe nada, nada restou. Não podes aguentar minha libertinagem inofensiva, para estar contigo me é exigido mais do que eu posso dar. Nossas noites agradáveis são esquecidas, pois já não queres que eu divida meu corpo com outros homens, mas o teu é dividido com outras mulheres. Não vai ser como costumava, não posso ser rebaixada, humilhada publicamente para ficar contigo. Cada um com suas exigências e suas capacidades. Talvez eu seja uma rocket queen standing all alone na chuva, sozinha. Talvez eu seja sempre assim. tenho que me acostumar com isso. não é fácil, mas não há outra maneira.
Nem mesmo ele me olha mais, permanece sentado na calçada com uma de suas namoradas. Estou velha, qualquer pessoa que me veja percebe o quanto estou repleta de cicatrizes.
Fico pensando noite adentro e também quando caminho na rua indo trabalhar, vejo meu reflexo nas poças e sei que não posso culpá-lo, como não amar as mulheres, é impossível amar apenas uma quando se quer explorar a beleza do mundo. Esses espíritos livres são magníficos, mas não podem ficar muito tempo perto de mim. Eu os admiro, mas só gosto quando é brincadeira, um mero jogo, só é bom quando se é divertido, pois quando fere a moral de alguém é cruel demais.
Eu estava muito pin-upzada e me perdi, me deixei robotizar pelo sistema. Mas no fundo o romantismo se apodera de mim. desculpe-me se estou fora de moda, somente por estar nos padrões normais, enquanto estar fora deles é o que vale hoje em dia.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ultraviolência

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Arco-íris e Tristessa