Fome e caos

E mais uma vez quis morrer. Não havia nada que nos salvasse dessa merda toda e eu fiquei pensando se haveria tempo suficiente para que eu pudesse fazer tudo que tinha que ser feito, mas eu não estava com vontade de fazer nada. Eu precisava que alguém me ajudasse, me levasse à algum lugar pela mão e dissesse que aquele era o caminho certo. Mas ninguém fará isso. Estou fodida. Meu corpo está cansado, lágrimas escorrem dos meus olhos e eu tremo. Já não há nada em mim. Eternamente fodida, faminta, pobre e sem rumo. Não há nada que eu goste, ninguém que eu ame, nada que tenha graça. E esses dias parecem intermináveis e eu queria beber um vinho. Mas queria morrer. Pra quê tudo isso? Me colocaram aqui e nada parece interessante, não há assistência, ninguém suprirá nada, os sorrisos amarelos estão em todos os lugares, os arrependimentos percorrendo minhas veias e meu corpo padecendo. Não há felicidade. Não há pessoas boas. Estamos no meio de uma guerra e eu me sinto ferida. Só há ódio dentro de mim.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ultraviolência

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Arco-íris e Tristessa