Reflexos da lua azul


São noites em que meu corpo está com o útero pleno e vermelho, em sintonia com a lua cheia azul entre as nuvens que dançam no céu como o cenário de um ritual de um povo antigo, e talvez exterminado. Muitas de nós não podem sobreviver bem, mas mesmo assim resistimos. Às vezes só as palavras fazem sentido, documentadas por uma rede que permite nossa redenção com a literatura. Como acontece com o acesso livre na internet.
Tento em vão despistar meus fantasmas. Você os afasta com um simples abraço, os escombros do meu coração naufragaram em alguma praia poluída, e não posso prender o choro, então desaguo. Esgoto. Me esgoto. Que desgosto...
Sabemos que o álcool cai bem com a nicotina, parece mais fácil espantar fantasmas assim. De alguma forma te culpo, blasfemo. Nunca existiu confissões agradáveis saindo da sua boca, e por vezes parece difícil distinguir verdades de mentiras, medir valores, expectativas, limite de aproximação. A próxima ação: transbordar. As vezes as chamas se espalham rápido demais, sem que dê tempo de detê-las.
Ter o ascendente em áries no mapa astral é devastador. Você é áries, mas eu sou aquário. O ar aumenta o fogo e por acidente pode causar destruição. Pode ser perigoso. Então transbordo e a água apaga tudo, não tem nada a ver com astrologia no final. 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tango, sangue e revolução

(pre) tensão