Estrela cadente



Eu vi uma estrela sumir
Foi culpa das nuvens
Foi tudo minha culpa
Foi tudo ilusão?

Eu com a minha mania de dormir
Com um gato branco no colo
Deitada na grama
Eu perdi a visão?

Tentei ver de novo
O cinza me cegou
Moveram-se devagar
Pensei: logo sumirão

Minha estrela fugiu
E depois saltou de nuvem em nuvem
Desmaiou de cansaço
Era só um avião?

Esqueci minha estrela
Caí no sono outra vez
O gato morreu de câncer
Só restou o som da minha televisão

Comentários

  1. O dia a dia
    de um poeta
    é um constante
    pensar,
    sonhar,
    exercitar
    a alma,
    lidar com a vida
    e seus constantes
    acontecimentos...


    Poeta Francis Perot

    ResponderExcluir
  2. Com certeza! Obrigada por comentar, um beijo!!! :D

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Argumente.

Postagens mais visitadas deste blog

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Ultraviolência

Arco-íris e Tristessa