Inverno

Tão longe estás de mim
Que já não te escuto falar
Tua voz é uma doce lembrança
Que recordo ao sonhar

E dormir já não consigo
Insisto em pensar em ti
Queria poder um dia
Quem sabe te fazer sorrir

E a impressão que tenho
É que estás mais longe do que nunca
É a de que as estrelas já não te contam como estou

E eu me vejo perdida
No meio do furacão
Que minha imaginação criou

Baseada em tua imagem
Tua ausência me desespera
E esse frio que congela
Confunde minha mente
E mata minha minha esperança
De te ter aqui ao meu lado
Num dia qualquer de verão
cheio de luz...

Diluindo-te em meus sorrisos
Perdido entre meus cabelos
Completo, porém morrendo

Comentários

  1. Minha cara POETISA, não sei o que dizer, mas você disse tudo que eu queria, assim, copiei, colei e enviei, com os devidos créditos.
    Somos assim e quando perdemos as palavras, recorremos ao auxílio luxuoso de um@ poet@.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Omar, fiquei muito feliz com teu comentário!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Argumente.

Postagens mais visitadas deste blog

Ultraviolência

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Arco-íris e Tristessa