amor de primavera com vírgulas, reticências e parênteses, mas sem ponto final

colando os cacos do meu coração, tentando encontrar mentiras para justificar minhas ausências, gaguejando sem coragem de contar a verdade, perdida nas minhas próprias vontades, sem conhecer meus confusos desejos, sem saber o que realmente quero, explorando lugares desconhecidos, realizando sonhos confusos, experimentando a cumplicidade de um amor que foi plantado, que amou sem ver, sem amar, sem saber, amor doce e juvenil no acaso do destino nascerá na promessa do horóscopo de aquário, no início da primavera, buscando forças para sobreviver às palavras vãs do mundo, quebrar as paredes da falta de liberdade e voar através de um horizonte que tem fim, rompendo a timidez e trazendo lágrimas inevitáveis, porém sem traição, sem mentira, apenas um amor puro sem medidas, gerando um círculo que se quebrará na imensidão de uma vida inteira, nas despedidas que se seguirão, nos corpos que se encontrarão ainda desconhecidos e intocados, completando o quebra-cabeça do amor sem previsões nem planejamentos, apenas lutas, amor e só; que a paixão exploda em minhas veias e invada meu corpo relapso, meu coração quebrado e minha consciência confusa, que ela seja consciente do meu corpo sujo e da minha inocência restante, e que aceite todas as minhas imperfeições e que seja eterno enquanto dure; não é meu único caminho, mas é o mais sensato, menos perigoso e mais construtivo, sem encaixa melhor em minhas possibilidades, mas ainda sim as cartas mostram um caminho difícil; sou guerreira, confio na Deusa e Afrodite abençoará esse amor com toda luz, perfeição, beleza, lealdade e plenitude; que a sabedoria tome conta de tudo e que o rompido seja leve e traga a sensação de uma missão cumprida, de uma etapa necessária, de um desejo realizado, e que lágrimas doces escorram pelo meu rosto; e encontrar no reggae a profundidade do amor verdadeiro (que é imperfeito), das conversas longas, dos abraços quentes, do coração disparado, da boca seca, das lágrimas de amor, do ciúme saudável, do descontrole do momento, dos corpos que se encaixam, do mundo que se colore, da planta que cresce, de céu azul, das noites longas, da proteção, do carinho, da saudade de um tempo que jamais voltará, jamais...

Comentários

  1. Oi Camilla,
    Lendo o teu texto, vi muitas coisas sobre o que eu sentia...(quando tinha a tua idade!). Também li o teu perfil. Achei legal que queiras cursar Letras/espanhol, pois foi também o meu desejo, ainda que tenha tido de mudar para o inglês, por não ter fechado turma... Só uma coisa: forçosamente, terás de passar a gostar de estudar (hshs), uma vez que o caminho das letras é "maravilhosamente árduo", oferecendo-nos tudo de melhor na medida da nossa doação. Nos encontramos por aí... Abraços Literários!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Argumente.

Postagens mais visitadas deste blog

Ultraviolência

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Arco-íris e Tristessa