Teoria das paixões


                Eu tava tentando entender a razão desse sentimento e descobri que sou a puta da história. Repara bem, eu tava tranquila e feliz, mas aí veio você e bagunçou tudo. Tá, eu não tava tão feliz assim, mas tava levando... Então eu não tava nem aí e andava com vários, ainda ando, porque não tenho ninguém que me queira de verdade, e isso é muito triste. Aí fiquei pensando em porque isso e tenho uma teoria: As putas ficam com os caras normais, engravatados e as princesas com os vagabundos, porém é por necessidade, porque os mundos diferentes fazem com que a gente se apaixone pelo diferente, mas ame nossa essência e no fundo é tudo ilusão. Eu nunca fui princesa, por isso não arrumo nenhum vagabundo que me queira, aí vem mil engravatados querendo casar comigo e mil vagabundos querendo me comer.
              Então vai lá, fica com a que é do teu mundo, mas não do teu tamanho, com a que boazinha na cama, mas que não é safada, com a que trabalha e é guerreira, mas não ama vadiar, com a que sabe sonhar, mas não sabe realizar, com a que acha lindo teus rolê, mas não vai junto do teu lado, com a que pode ser uma mãe maravilhosa, mas que não te ama como tu merece por ser tão moleque, com a que diz coisas bonitas, mas não sabe te dar um abraço sincero, com a que é gostosinha, mas não sabe fazer nada na cama, com a que diz que te ama, e te trai com o primeiro engravatado que aparece, com a que é amor pra vida inteira, mas não te leva a sério, vai, não sou teu tipo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ultraviolência

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Arco-íris e Tristessa