Vendas nos teus olhos



                Fico ofendida, chateada e oca com a tua falta de tato, de carinho e de capacidade para lidar comigo. Não sou qualquer pessoa, não sou quem você pensa, não conhece nem um terço de mim, as coisas que eu fiz e faço não lhe dizem respeito porque vão muito além dos teus projetos e contrariam tua moral barata e fútil, quero te poupar, porque te amo. Tua cegueira me dá pena e tua falta compreensão faz com que você perca mais do que eu nessa história de convivência porque afinal, você só conviverá comigo por mais uns meses e nunca mais, porque eu voarei cada vez mais alto enquanto as tuas pretensões se tornam cada vez mais superficiais e as minhas cada vez mais sujas e miseráveis porque eu não peço muito à vida, e peço muito menos à você. Exatamente por não te pedir nada é que sou tão podre ainda, mas existem partes do meu corpo que já não são as mesmas e você não as conhece mais e não as verá novamente tão cedo e quando as ver quero estar longe. Você realmente não entende porque eu quero estar longe não é? É exatamente essa a questão: sua falta de capacidade de lidar comigo. Não sou água, não sou potável, nem limpa, nem transparente, nem clara e sem sabor. Às vezes sinto pena daquilo que você não conhece sobre mim, porque essas coisas podem te destruir e você não é a razão dos meus “erros”. Sou responsável por todas minhas atitudes, por isso não se preocupe com nada além da minha saúde. O resto deixa comigo, só preciso mesmo do teu plano de saúde, no caso de ter uma crise de herpes mais violenta da próxima vez.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Ultraviolência

Arco-íris e Tristessa