Sobre toda a sujeira que há debaixo do tapete

Cada dia eu chego numa nova conclusão sobre nós: não temos como continuar. Parei para nos comparar e vi que já não vale à pena, somos muito diferentes, mas temos as mesmas qualidades ou defeitos, nem sei mais. Orgulho é uma grande característica nossa, e isso estraga tudo.
Nunca gostei muito de quem eu não sei quando acreditar, eu sei que posso parecer feminista, mas a verdade é que eu sei que homens não prestam. Por favor, não jogue a responsabilidade inteira sobre mim, eu sei que sou superficial para essas coisas, mas cadê a melhor parte? Joguei-me num abismo como sempre! Por que eu sigo fazendo isso? Eu sei que não me encaixo, mas não quero te perder porque não consigo viver sem teu corpo, porém dispenso tua mente incoerente e fora do meu contexto real. Extremos se envenenam cedo ou tarde, e eu às vezes gosto de perder tempo, ninguém passou pelas coisas que eu passei, as dores que senti fizeram meu corpo padecer e eu estava com saudade de certas sensações que me fazem sentir-me viva.
Eu gosto de você, mas como saber se as coisas são o que parecem se eu já sei há muito tempo que as coisas são como são? Não gosto de quem usa gravata e camisa, mas parece que apenas eles são capazes de fazer a coisa certa. Nunca quis isso para mim, pois onde não há prazer, eu já não posso habitar.
As paredes ficam vazias e as cenas se repetem na minha frente sem que eu saiba o que fazer, com uma insônia me asfixiando e tua voz me despertando pela manhã, não sei até quando... tuas sombras me cegam madrugada adentro e horas a fio...
Eu estava treinada a agir diferente, mas não sei me controlar, não gosto de coisas fora da rotina, gosto de tudo em seu lugar e não lidar com fatos que ocorrem fora de órbita e nem com as suas atitudes inconstantes que se parecem tanto com as minhas. Odeio sentir-me assim, não sei o que fazer, nem mesmo o que pensar. Estou quebrada por dentro e por fora.

Suas contradições não são comuns para mim, pessoas assim nunca fizeram parte do meu mundo, mas eu sei que amanhã estarei pior, porque não há nada como a sensação de abandono corroendo minhas células e fazendo meus malrboros vermelhos queimarem uns atrás dos outros. Mas não posso fazer nada, tudo isso é minha culpa, mas não é minha total responsabilidade.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ultraviolência

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Arco-íris e Tristessa