As possibilidades de felicidade são egoístas, meu amor



Tenho estado confusa, talvez pelo estado do meu corpo ou por causa da minha mente dispersa. Eu escuto uma torneira pingando dentro de mim, queria poder consertá-la, mas não sei como fazê-lo. As coisas estão mais imprevisíveis do que nunca e as escolhas mais difíceis de serem tomadas, porque eu estou nadando contra a corrente e sei que não agüentarei no final. Sinto-me seca, infértil e incapaz de cortar as coisas que podem doer cada vez mais. Não sou forte o suficiente para romper com coisas que parecem que darão certo, mas não vão. Porque não é bem assim e porque eu sou madura o suficiente para saber que este é o fim e permaneço queimando fora das chamas porque o fogo é tão lindo de ser admirado e eu danço em volta dele e ele me hipnotiza e me vejo sem saída. Talvez eu saia queimada sem nem ter percebido que havia encostado nas chamas e deixado o fogo consumir o que ainda resta do meu corpo completamente imperfeito.
Estou cansada, corrompida, des(iludida), malfalada, indulgente e fodida. Muy jodida. Deveria parar de importar-me com tamanhas besteiras, mas preciso de uma válvula de escape e eu não sei qual é.
 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Ultraviolência

Arco-íris e Tristessa