Ninguém vive a paixão impunemente.



Eu não costumava considerar isso tão bem quanto agora. Agora quando eu já não consigo dormir, agora quando eu já tão tenho nenhum lugar para fugir. Agora quando eu achava que já tinha o bastante para impressionar alguém com um intelecto não tão bom assim, mas semi-suficiente não para impressionar, mas ao menos para conseguir interagir. Agora quando eu achava que conseguiria ser independente e te vejo entrar aqui, imprevisível, invadindo não só os poros da minha pele e todos os buracos do meu corpo. Já não basta, já não é o bastante e eu estou tomada por toda a loucura que levou minha cama embora e eu não tenho nada além de arrependimento. Porque agora o sexo em si já não basta. O sexo não é nada comparado a toda essa bagunça da minha casa e também de dentro de mim, e me vejo me submetendo a todas as suas vontades sem que você precise dizer nada porque os seus joguinhos são eficientes até para alguém auto-afirmada como eu. Mas mesmo assim, não espere muito de mim. Eu tenho limites internos e estou percorrendo lugares que ainda não conhecia, não sei direito onde estou nem aonde estou indo. Só sei que não sei o que poderá acontecer. Não sou tão livre assim, mas também esvazio cada dia mais o meu coração e fico vazia de tanto amar o não merecido, o incoerente, o imprevisível, o prazer que mais traz dor. Eu não tenho muitas chances e nem nada de bom que meu corpo possa oferecer. Eu não sei me doar pela metade. Eu não sei ser muitas e é por isso que fico com muitas brainstorms e sinto cada dia que passa mais falta do dia de ontem porque as coisas não pareciam tão sem salvação assim. Eu parecia bem, tinha para onde correr, tinha a quem recorrer, tinha outras opções. Eu sei que erro muito, mas não é por acaso. Os seus erros são muito mais corrosivos e propositais e eu não gosto muito de comparar essas coisas, mas não dá, eu não sei brincar, eu não vou ficar assim, não quero continuar. Eu só posso piorar no estágio crônico em que estou só posso decair. Você é como um câncer para mim. E mesmo depois de trinta pessoas me avisarem que eu acabaria assim, eu caí. Sim. And I don’t fucking really mind.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ultraviolência

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Arco-íris e Tristessa