Ovelhas Negras

     Sinto falta daquela aliança em teus dedos e a completa falta de comprometimento em teus atos. Sinto falta das garrafas de vinho e esperar a campainha tocar às onze horas de uma noite qualquer em que beberíamos, ouviríamos música tão alto que os vizinhos se perturbariam e eu quase fosse despejada todos os dias e que tu roubasses meus marlboros vermelhos, pois ainda não era um fumante assumido. Sinto falta de sentir tua falta e da certeza de sexo selvagem, porque inicialmente nos devorávamos e esquecíamos de todo o resto. Eras visita, Eu cozinhava. O frango assava no forno e me comias no sofá e eu aguentava anal e fritava batatas enquanto dormias esperando. Não tínhamos fotos juntos e falávamos de literatura a tarde toda enquanto bebíamos vodca. Éramos completos estranhos com sede um do outro.
     Nunca pensamos que chegaríamos até aqui. Não sabíamos que nos prenderíamos tanto um ao outro, logo quando nossos mundos estivessem completamente fodidos. Não tínhamos nada, somente eu e tu no meio do furacão.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Me cobraram recato, eu rasgei o contrato

Ultraviolência

Arco-íris e Tristessa